edney.jpg

O nosso entrevistado de hoje é um blogueiro ilustre: ninguém menos que o problogger Interney (Edney de Souza). Mantivemos contato com ele por e-mail no final da semana passada propondo a entrevista [as perguntas foram enviadas de imediato para ganhar tempo] e, gentilmente, ele nos respondeu já enviando as respostas aos nossos questionamentos. Valeu a pena esperar. A conversa com Interney foi das mais proveitosas.

Se há algum leitor de blog que ainda não sabe, Edney de Souza (ou Interney, como ele ficou conhecido da blogosfera) é um o mais bem sucedido problogger do Brasil. Ele é, na verdade, um dos blogueiros mais conhecidos do mundo, chegando mesmo a ter sido destaque da revista Wired, tida como o “oráculo da inovação” no Vale do Silício. Interney também foi destaque na edição da revista Época, de 31 de julho de 2006, que trouxe o assunto blog como tema principal da sua capa.

Ele acaba de fechar uma importante parceria com o portal IG [toda a blogosfera já sabe disso, mas não custa repetir, hehehehe], demonstrando que tratar a ferramenta blog com dedicação e profissionalismo pode dar resultado sim.

Sobre a questão da independência de publicação ele é enfático ao afirmar: “Um blogueiro só terá independência de publicação se registrar domínio próprio e pagar hospedagem, serviços gratuitos são interessantes para brincar e explorar a blogosfera, se o blogueiro deseja levar adiante um trabalho mais sério fuja dos serviços gratuitos”.

Confira a entrevista:

Blog do Luiz – O que mudou na sua vida, depois que você passou a ser um empresário da blogosfera?

Interney – Passei a trabalhar mais do que antes.

BL – Apesar de recente, a parceria com o IG já tem dado bons resultados?

Interney – Sim, a visitação dos blogs do InterNey Blogs (IB) aumentou e o site todo passou a contar com um pouco mais de credibilidade.

BL – Aliás, qual é a base dessa parceria?

Interneyhttp://www.interney.net/?p=9760587 [indicou este link do post no qual explica as bases da parceria]

BL – Esse interesse dos portais e jornais impressos pelo trabalho dos blogueiros de maior destaque, na sua opinião, é um sinal que a imprensa “convencional” cansou de bater cabeça contra os blogs?

Interney – Alguns cansaram de bater cabeça, outros não, outros ainda nunca bateram cabeça, na minha opinião são movimentos isolados que não tem como definir o todo: O Estadão fez um debate com blogueiros, a Globo.com lançou o BlogLog e o IG fechou parceria com o InterNey, existem vários outros jornais e portais que ainda não participaram, não dá pra definir uma tendência.

BL – Você, que é um dos pioneiros como problogger, acredita que surgirão ainda muitos empresários da blogosfera?

Interney – Sim. Eu espero que isso aconteça pois para que blogs sejam vistos como um mercado é necessário que existam mais players.

BL – Sobre a questão dos anúncios em blog, qual a melhor maneira de atrair anunciantes para essas páginas?
 

Interney – Ao invés de esperar que as agências descubram blogs faça-se descobrir elas agências, compute sua audiência, organize seu layout, identifique seu público, monte um mídia-kit e vá a luta. Atualmente estou no processo de desenvolvimento do novo layout e em seguida do mídia-kit.

BL – E mais: os blogs serão capazes de atrair a atenção dos anunciantes a curto prazo?
Interney – Se seguirem as dicas que acabei de dar a resposta é sim.

BL – Num ambiente em que milhares de páginas são criadas diariamente, qual a receita para se sobressair na blogosfera, uma vez que não há leitores para todo o conteúdo produzido na rede?

Interney – Leitores vão filtrar o conteúdo a ser lido, você tem que passar por estes filtros: qualidade e visibilidade são a chave. Não adianta estar em todo lugar e ter o conteúdo ruim, você será filtrado. Não adiante ter um ótimo conteúdo e ter um blog desconhecido, é preciso maximizar esses parâmetros.

BL – Os números do Comitê Gestor da Internet e do Censo do IBGE mostram uma realidade segundo a qual ainda há muitos excluídos digitais no Brasil. Diante desse quadro, qual o caminho para atrair a “pequena” parcela de internautas para a leitura de blogs?

Interney – Prefiro os números da recente pesquisa da DataFolha que incluem os internautas que acessam web no trabalho e em lan houses, o público é bem maior do que essas instituições imaginam: http://www.bluebus.com.br/show.php?p=2&id=78407
Sobre dicas de visibilidade: http://www.interney.net/?p=9757439 
 

BL – Jornais como O GLOBO e Estadão, para citar apenas dois dos mais expressivos, estão “recrutando blogueiros” para escrever seus cadernos de informática. Esse movimento de “atração de blogueiros” para a “mídia convencional” tende a se intensificar, na sua opinião?

Interney – Errado, estão recrutando colunistas para transformarem suas colunas em blogs, ou você conhece algum blogueiro de verdade lá que eu desconheça? Se você fala do pessoal do NoMínimo que foi para o Estadão, apesar de usar o formato blog nunca exploraram o verdadeiro potencial de conversação que os blogs carregam, ainda são jornalistas tentando se adaptar aos novos tempos.

BL – Como você vê a questão de censuras a blogs, como foi o caso da blogueira Alcinéa Cavalcante, do Amapá, que no ano passado teve o seu blog tirado do ar pelo UOL, e já acumula meio milhão de reais em multas aplicadas pela Justiça Eleitoral?
Interney – Sugiro a leitura deste post sobre o caso: http://www.interney.net/blogs/inagaki/2006/09/03/como_a_campanha_xo_sarney_se_espalhou_pe/
Ao contrário de alguns artistas que, ao se tornarem mais conhecidos, se imaginam experts nos problemas políticos, sociais ou econômicos do país, eu não tenho tal ilusão. Sobre o caso apenas posso tecer comentários sobre as questões técnicas.

Um blogueiro só terá independência de publicação se registrar domínio próprio e pagar hospedagem, serviços gratuitos são interessantes para brincar e explorar a blogosfera, se o blogueiro deseja levar adiante um trabalho mais sério fuja dos serviços gratuitos.

Moderar comentários é uma necessidade, qualquer personalidade ou empresa pode alimentar um post com comentários caluniosos e depois entrar com um processo contra calúnia/difamação e/ou perdas/danos. Além de moderar comentários alguns blogueiros precisam moderar a língua. Dizer que fulano é ladrão sem que ele tenha sido condenado é calúnia e passível de processo. Porém você pode relatar fatos que indiquem atividade suspeita e sugerir a polícia deva investigar o que realmente se passa. Mas lembre-se bem, relatar FATOS e não suposições.

BL – A propósito, você considera que a blogosfera brasileira já está madura o suficiente para fazer frente aos veículos de comunicação tradicionais?

Interney – Não, e nunca estará, não é objetivo da blogosfera fazer isso, muita gente quer criar um blog para publicar piadas e vídeos divertidos. Porém, alguns blogueiros já têm maturidade suficiente para isso e cada vez devem surgir mais blogs com essa vocação. A blogosfera é caótica e possui níveis de maturidade variados entre os milhões de blogs existentes, não temos como reduzir ou equalizar essa massa a definições simplistas.

BL – Este ano, “pipocaram” encontros de blogueiros em vários lugares do Brasil. Como você avalia esse movimento que busca fazer uma autocrítica, além de buscar novos caminhos para a monetização e ampliação da audiência dos blogs?

Interney – Esses eventos mostram que o interesse pela blogosfera cresceu muito, porém há muita desinformação sobre o que é de fato importante, antes de monetizar um blog é preciso cativar uma audiência, antes de cativar uma audiência é necessário pensar seriamente na produção de conteúdo. Tem gente que odeia Redação e acredita que sobreviverá produzindo blogs. É uma ilusão e parece que nessa busca por autocrítica as críticas ainda são bem leves.

BL – Para terminar, qual os blogs que você ler diariamente?

Interney – Não tenho um roteiro pré-definido de blogs para ler, eu leio os blogs do Interney Blogs checo as referências que eles indicam e costumo pesquisar no Google BlogSearch sobre alguns assuntos e ver os últimos posts escritos. Leio quase 100 blogs por dia, mas nunca são os mesmos.

PS – A foto que ilustra esta entrevista é da revista Época.

Anúncios