O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) bateu o martelo e sustentou a sua decisão, segundo a qual os mandatos eletivos pertencem aos partidos e não aos candidatos. Agora o julgamento do mérito caberá ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O presidente do TSE deu declarações ao Jornal Nacional afirmando não entender porque o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, ainda não convocou os suplentes dos deputados que mudaram de partido depois das eleições.

Caso o STF reconheça e mantenha a decisão do TSE vai ter muito nego correndo da sala para a cozinha desesperado para salvar o mandato. Difícil é acreditar que nesse nosso país das conveniências alguém vá querer mudar a ordem das coisas a essa altura. Mas eu gostaria de estar errado só para ver qual seria a reação dos políticos país a fora.

Seria uma excelente lição aos compradores de mandato e locadores de partido.

Anúncios