A explosão da blogosfera é um acontecimento recente, bem recente, mas se pode dizer que se foi o tempo em que blog era coisa de menininha que resolveu transpor para a World Wide Web as suas confissões de adolescentes. Depois dos blogs caírem na graça de escritores e jornalistas, que passaram a cativar um público cada vez mais crescente na rede, agora é a vez dos agitadores e produtores culturais utilizarem a ferramenta blog como meio de mostrar bandas dantes desconhecidas.

Um exemplo é o blog americano “Stereogum” que reuniu seus grupos preferidos para comemorar os 10 anos do lançamento do álbum “OK computer”, do Radiohead, em julho. Por outro lado, o blog português ” Má Fama” promove uma uma hora de música por semana com nomes badalados da cena alternativa. Há ainda outros como After the Jump que vai participar de um festival que está sendo produzido excusivamente por blogueiros nos Estados Unidos, com a participação de integrantes de 22 blogs. (Fonte: revista Época)
Bom saber que no meio dessa overdose de criatividade blogueira estão alguns brasileiros como o Coquetel Molotov que tem sede em Recife (PE), que inclusive já criou uma revista musical com o mesmo título já na terceria edição, e o ” Senhor F“, de Brasília, que agora atua também como selo fonográfico numa parceria com o Daybreak, estúdio que pertence ao guitarrista e vocalista da Plebe Rude, Philippe Seabra.

Esta é uma pequena demonstração de que muita coisa mudou nesses dez anos de blogosfera. É, para quem não sabe (se é que há alguém que navegue na net que não sabe) estamos fazendo dez anos do surgimento do primeiro blog que se teve notícia. Desde que John Barger disponibilizou seu diário pessoal na internet e o batizou de “weblog”, em 1997. Desde então, a relação leitor/jornais/jonalistas nunca mais foi a mesma e essa mudança começou a se espalhar para outros campos da atividade humana, como a Literatua, a televisão (que o diga o You Tube), o rádio (com os Ipod) e agora a música, com os blogs produzindo bandas e promovendo festivais. É uma revolução e tanto. E muito mais ainda deve vir por aí.

Texto escrito a partir de informações da revista Época e do portal de notícias G1.
Anúncios