Uma matéria postada antes de ontem no site Congresso em Foco demonstra que o PMDB bem poderia se chamar Partido Muito Desmoralizado do Brasil, tantos são os seus representantes com mandato eletivo envolvidos em processos judiciais.

A sigla partidária não é mais nem sombra do que foi, quando surgiu na cena política brasileira ostentando a sigla de Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Hoje, os maiores expoentes políticos do partido no Senado respondem a inúmeros processos, todos eles acusados de envolvimento em algum tipo de falcatrua.

Sob o título “Uma bancada do barulho”, a matéria postada no site Congresso em Foco expõe todas as mazelas do partido que dá sustentação ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e cujos figurões com mandato no Congresso Nacional tentam salvar a pele do presidente do Senado Renan Calheiros.

Diz a reportagem: “As recentes denúncias contra os senadores Renan Calheiros (AL) e Joaquim Roriz (DF) não são os únicos problemas enfrentados pelo PMDB no Senado. Maior bancada da Casa, com 20 dos 81 parlamentares, ela também é a campeã em processos criminais. São 23 acusações, que representam 62% dos 37 processos enfrentados pelos senadores no Supremo Tribunal Federal (STF)”.

Entre os figurões que respondem a processos estão o líder do partido, Valdir Raupp (RO), Romero Jucá (RR), o novo presidente do Conselho de Ética, Leomar Quintanilha (TO), e ainda, Joaquim Roriz (DF), ex-governador de Brasília, que responde ao maior número de processos judiciais. Da bancada de 20 senadores peemedebistas apenas Pedro Simon (RS), Paulo Duque (RJ) e Geraldo Mesquita Júnior (AC) nunca sofreram processos na Justiça Federal, pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) ou pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Quanto ao senador Romero Jucá, faz alguns dias que a revista Veja trouxe um artigo assinado por Roberto Pompeu de Toledo, no qual ele afirmava que o senador roraimense é detentor de concessões de emissoras de rádio e televisão em Roraima. Jucá respondeu negando tudo.

Bom, mas e o senso comum? Todo mundo em Roraima sabe que isso é verdade. Aqui não é segredo para ninguém que a TV Caburaí e a Rede Imperial de Comunicação (TV Imperial e Rádio Equatorial) pertencem ao senador. Podem até estar em nome de laranjas, mas que são dele todo mundo sabe.

É desalentador assistirmos à crise ética pela qual passa as principais instituições políticas do país. Nos últimos 15 anos os sucessivos escândalos políticos têm mostrado que o destino do país está sendo conduzido por uma verdadeira alcatéia de lobos famintos por poder e dinheiro, todos ele travestidos de cordeiros. Só que o disfarce está desbotando e a máscara está caindo.

Os eleitores precisam acordar. Os brasileiros precisam recuperar sua capacidade de se indignar e sair dessa passividade. Do contrário, o Brasil terá que fechar as portar para balanço em breve, sem previsão de reabertura. A corrupção e a desonestidade política estão custando muito caro à Nação.

Anúncios