Chegou ao fim, pela segunda vez, a aventura do mais criativo site de notícia e opinião da internet brasileira. O No Mínimo, versão atualizada do Notícia e Opinião (no.com) que surgiu no final da década de 90, encerrou as suas atividades por falta de investimentos financeiros. O site, que tinha em sua equipe nomes de peso como Zuenir Ventura, Ricardo Kotscho, Marcos Sá Correa, Mário Sérgio Conti, Pedro Doria, Sérgio Augusto, Vilas Boas Correia entre tantos outros, vai deixar saudade naqueles internautas que, como eu, apreciam texto de qualidade, ainda que discordemos do ponto de vista dos seus autores. Eu sempre visitava o site para ler Zuenir, Kotscho, Doria e tantos outros jornalistas que usavam o espaço de forma brilhante. O fim das atividades do site foi assinalado pelo seguinte texto de despedida, que surpreedeu a este blogueiro ao acessar hoje o endereço que, repito, era dos mais interessantes da net no país:

“Aqui jaz o NoMínimo
Editores, blogueiros, colunistas, funcionários, colaboradores assíduos ou ocasionais, enfim, todos os nomes abaixo relacionados que ajudaram a criar o site de jornalistas mais querido do Brasil comunicam sua morte súbita neste 29 de junho de 2007, vítima de inanição financeira decorrente do desinteresse quase geral de patrocinadores e anunciantes em sua sobrevida na web. NoMínimo deixa órfãos cerca de 150 mil assinantes entre os mais de 3 milhões de visitantes que, em média, se habituaram a passar por aqui todo mês nos últimos 5 anos. Seus realizadores também sentem muito o triste fim desse espaço livre, democrático e criativo de trabalho, mas se despedem com a sensação de dever cumprido com o jornalismo e a camaradagem que nos une. Foi bom, foi muito bom enquanto durou. Quantos no país têm a oportunidade de tocar seus próprios projetos com prazer, independência e alegria? Aos leitores, nossas desculpas pela falta de talento empreendedor, o que talvez pudesse transformar o site num bom negócio financeiro. Fica para a próxima. Até breve.”

Anúncios