Numa conversa que ocorreu logo após a eleição e que foi gravada pelo vereador Sebastião Correia, o agora deputado estadual Ivo Som confessa expressamente que a eleição para a presidência da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Boa Vista foi marcada pela compra de votos.

Essas informações constam na Ação de Anulação com Pedido de Antecipação de Tutela, com a qual os denunciantes requerem a anulação da eleição.

Os denunciantes afirmam ter tomado conhecimento que o processo que elegeu Marcelo Vieira como presidente da Câmara “foi marcado por fraude, corrupção e atos atentatórios à moralidade do ato administrativo”. Estas são expressões que constam na ação.

Na compra de votos teria corrido grana alta, algo em torno de 320 mil, divididos da seguinte forma: Ivo Som teria recebido R$ 120 mil, mesmo valor que chegou às mãos do vereador Rogério Trajano. A vereadora Iracema Araldi teria levado R$ 40 mil, mais um celta no valor de 25 mil, e o deputado federal Márcio Junqueira teria faturado 15 mil por suposta participação na negociação.

A matéria completa sobre este assunto você lê na edição desta terça-feira, 8, do Roraima Hoje. Um amplo material escrito a oito mãos pelos jornalistas Avery Veríssimo, Nei Costa, Siddhartha Brasil e este blogueiro.

Anúncios