O título deste post traz, a princípio, uma contradição. Mas a sua leitura ajudará a esclarecer o motivo da escolha. Vamos ao problema: o transporte urbano de Boa Vista está cada vez mais caótico. As empresas que exploram as rotas com coletivos não sabem o que significa a expressão “respeito aos clientes” e disponibilizam ônibus que mais parecem latas velhas. Não são raras as vezes em que esses veículos quebram no meio do caminho e os passageiros chegam atrasados aos seus compromissos.

Por sua vez, a Prefeitura faz vista grossa para o problema e não adota políticas que possam resultar em melhorias para o setor. E o que é pior, ainda protege os empresários que dominam o mercado, num verdadeiro monopólio.

Aliás, existem apenas duas empresas servindo (mal) aos clientes de Boa Vista. Há quem diga que elas pertencem a uma só pessoa, o que caracteriza monopólio completo. Qualquer dúvida é só visitar a garagem onde ficam guardados, juntos, os ônibus das companhias Expresso Roraima e Cidade Boa Vista, no bairro Jardim Equatorial. Se elas fossem de donos diferentes e, portanto, concorrentes, estariam os veículos guardados na mesma garagem? Será mesmo?

O prefeito Iradilson Sampaio (PPS) ainda dá sinais de proteção aos seus proprietários ao afirmar que outras empresas não têm interesse em vir se estabelecer na praça de Boa Vista, devido à concorrência com os táxis lotação. Mas, quantas licitações foram abertas para novas empresas nos últimos anos? Quantas? Alguém tem notícia?

Quando o assunto são os táxis lotação, a situação se complica mais ainda. Essa modalidade de serviço de transporte urbano cobra a passagem no mesmo valor que as empresas de ônibus, ou seja R$ 2,00. Por isso, os passageiros estão preferindo andar de lotação a se sujeitar às intermináveis esperas pelos coletivos nas paradas debaixo de um sol de rachar. Porém, os motoristas de táxi lotação se acham no direito de deixar passageiros na mão, quando o destino é fica praticamente no fim da linha operada por eles.

O poder público fecha os olhos da mesma forma para este problema. No período pré-eleitoral, alguns vereadores num apelo populista encamparam algumas causas dos motoristas de táxi lotação. Mas esqueceram que estes também agem no trânsito da forma que lhes convém. Enquanto isso, o contribuinte, o eleitor, o cidadão fica desassistido.

Anúncios